Entra mês e sai mês, e o abono dos professores? Nada!

Hoje, é 1 de fevereiro de 2017, e o abono dos professores já passou por várias fases:

  1. de nada para integral, deixado pelo prefeito Amaury;
  2. de integral para R$ 0,00 (Jadilson não queria pagar);
  3. de R$ 0,00 para R$ 600,00, após muitas negociações com Jadilson;
  4. de R$ 600,00 para nada, até agora.

Com essa grande mudança de fases, os professores da rede pública de ensino de Mirinzal se preocupam em pensar na possibilidade de não receberem o tão sonhado abono salarial.

reajuste-salarial.jpg

Foi várias as reuniões até que o prefeito Jadilson aceitasse a proposta de pagar apenas R$ 600,00 para cada professor, de abono. Não era esse o planejado pelo ex-prefeito Amaury com a verba da repatriação mas, pelo menos, receberiam algo.

O problema é que passam-se os dias, os prazos vão passando e outros vão sendo colocado como meta, sem sucesso. “Eu estou achando que a ideia é exatamente essa”, nos disse um professor que aguarda o abono, “querem ir jogando pra frente, pra frente, até cair no esquecimento. E olha que o prefeito é professor”, completou em tom de revolta.

Vamos ver se o próximo prazo, o dia 10 fevereiro, há de ser respeitado pela atual administração municipal de Mirinzal. Agora, se nem os servidores municipais foram pagos mesmo com o dinheiro em caixa, imagina abono.

Robert Willian Valporto

Robert Willian Valporto é graduado em Comunicação Social - Jornalismo; em Gestão Pública; pós-graduado em Assessoria e Gestão da Comunicação; MBA em Gestão Pública; Mestrando em Comunicação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *