Maior queda da inflação e aumento de imposto no Maranhão. Por que?

A inflação para o primeiro bimestre do ano de 2017 foi a menor desde 1994, quando o Brasil adotou o Real como moeda. Em contrapartida o aumento de impostos defendidos pelo Governo do Maranhão começou a valer a partir desta quarta-feira (15).

1449600265_893573_1449778346_noticia_normal.jpg

A inflação é é o aumento persistente e generalizado no valor dos preços, ou seja, menor poder de compra e desvalorização da moeda, no caso, o Real. Quando a inflação está em queda, o poder de compra do cidadão aumenta e, chega a zero, dizemos que houve uma estabilidade nos preços de mercado.

Foi uma grata surpresa! O número da inflação veio muito melhor do que se esperava – 0,33% segundo dados do IBGE – a menor para fevereiro desde o ano 2000. Se considerarmos o primeiro bimestre, o resultado é melhor ainda, o menor desde o Plano Real – o que mudou a moeda brasileira para o Real em 1994.

Produtos importantes para a população brasileira caíram de preço: arroz, feijão, carne, por exemplo. Com a desaceleração da inflação, esperávamos que os preços caíssem e aumentassem o poder de compra da população. Aí vem a bomba!

A Lei nº 10.542/2016, aprovada pelos Deputados Estaduais do Maranhão, que aumenta as tarifas de energia elétrica, preços da gasolina, do etanol, internet, telefonia e TV por assinatura, começou a valer a partir desta quarta-feira (15). Em outras palavras, o que o maranhense pagará a menos nos alimentos, pagará a mais nesses outros setores.

Essa é uma das medidas que o governador do Maranhão, Flávio Dino, propõe para evitar um futuro colapso financeiro com a crise econômica no estado. Entretanto, é uma medida reduz drasticamente a renda disponível do trabalhador, além de prejudicar ainda mais os estudantes e os que estão desempregados.

17264648_300573443693860_9062520779916880479_n.jpg

A medida também gerou várias manifestações nas redes sociais, como o exemplo acima da página Sensacionalista Slz. Muitos tem, e com razão, se demonstrado descontentes com a atitude do Governo do Estado.

Outra instituição a se mostrar contrária à Lei aprovada pela Assembleia Legislativa, é a Ordem Advogados do Brasil no Maranhão (OAB-MA), que entrou na Justiça com dois pedidos de liminares para barrar o aumento de impostos.

Robert Willian Valporto

Robert Willian Valporto é graduado em Comunicação Social - Jornalismo; em Gestão Pública; pós-graduado em Assessoria e Gestão da Comunicação; MBA em Gestão Pública; Mestrando em Comunicação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *