Mudanças climáticas atinge saúde das crianças, diz relatório

As mudanças Climáticas já prejudicam a saúde das crianças em todo o mundo, com ameaças de impactos ao longo da vida, de acordo com o relatório internacional Lancet Countdow 2019 (Contagem Regressiva da Lancet), lançado na ultima segunda (18) no Brasil. O projeto é uma colaboração de 120 especialistas de 35 instituições, incluindo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Banco Mundial e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ligada ao Ministério da Saúde.

Se o mundo continuar no atual padrão econômico de altas emissões de carbono e mudanças climáticas, o documento aponta que uma criança nascida hoje enfrentará um planeta em média 4° C mais quente até os seus 71 anos, o que ameaçaria sua saúde em todas as fases da vida. O impacto da poluição do ar, deve piorar nos próximos anos, mostra o relatório.

O fornecimento de energia derivada do carvão, por exemplo, triplicou no Brasil nos últimos 40 anos, ao mesmo tempo que os níveis perigosos de poluição atmosférica ao ar livre contribuíram para 24 mil mortes prematuras em 2016.

Segundo o relatório, as Crianças são as que mais sofrerão com o aumento de doenças infecciosas, como a dengue. Eventos climáticos extremos se intensificarão na idade adulta de pessoas nascidas hoje. No Brasil, 1,6 milhões de pessoas foram expostas a incêndios florestais desde 2001. Em todo o mundo houve um aumento de 220 milhões de pessoas acima 65 anos expostas as ondas de calor em 2018, na comparação em 200, a alta foi de 63 milhões.

Fonte: Imirante

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *