Operação ‘Tiro Certo’ cumpre sete mandados de prisão

Na manhã desta terça-feira (18), a Polícia Civil realizou uma operação chamada ‘Tiro Certo’, com o objetivo de prender oito participantes de uma organização criminosa suspeita de movimentações financeiras por dinheiro originado do tráfico de drogas, em São Luís.

De acordo com a polícia, um líder identificado como Flavinho, estaria comandando de dentro do presídio, uma quadrilha que movimentou mais de um milhão de reais em contas bancárias e, também, investiu outros valores em imóveis e veículos. 

Segundo a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), os acusados compravam e adquiriam armas de fogo, invadiam determinados territórios ocupados por outras facções criminosas e isso influenciava diretamente no aumento no número de homicídios em São Luís, em razão da guerra entre as facções.

“Foram oito mandados e desses oito, nós conseguimos cumprir sete. Um no estado do Goiás, um no interior do estado e cinco na capital. Desses cinco, dois já estão no sistema penitenciário”, disse o delegado Armando Pacheco, superintendente da Seic.

O dinheiro apreendido nesta fase da operação foi bloqueado e a Justiça decidirá qual destino terá os bens. As demais fases, também tiveram quantias muito grandes bloqueadas em contas e a partir de agora, esses valores ficarão à disposição da Justiça, assim como, os bens apreendidos. O judiciário decidirá se decreta o perdimento desses valores para o Estado.

Operação Tiro Certo

Desde Outubro de 2018, a operação investiga as movimentações financeiras de uma das maiores organizações criminosas que atua no Maranhão. 

A primeira fase, ocorreu em Abril de 2019, com o cumprimento de 25 mandados de buscas e apreensão e 15 mandados de prisão contra participantes da facção criminosa. 

A segunda fase foi deflagrada em Outubro de 2019, com a apreensão de uma grande documentação atrelada à escrituras públicas de imóveis, cadernetas com movimentações financeiras, cadernetas indicativas de comercialização de entorpecentes, além de dispositivos eletrônicos e o valor de R$ 4.580,00 em espécie. Também foi apreendida uma arma de fogo e 52 tabletes de drogas. 

Na terceira fase da operação, a Polícia Civil do Maranhão, apreendeu quase R$ 1 milhão que estavam investidos em bens, imóveis sequestrados judicialmente e contas bancárias bloqueadas. A operação resultou no cumprimento de dois mandados de prisão, além de nove mandados de busca e apreensão em imóveis de pessoas ligadas aos suspeitos. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *