Mais de 11 mil crianças e adolescentes fora da escola foram rematriculados no Maranhão

Um levantamento do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) apontou que 11.085 crianças e adolescentes que estavam sem ir à escola foram rematriculados em unidades de ensino de todo o Maranhão. Os dados são referentes aos anos de 2020 e 2021.

De acordo com a Busca Ativa Escolar, iniciativa do Unicef em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o Maranhão teve o segundo maior índice de retomada as atividades escolares do Nordeste, com 16,06%, atrás somente do Ceará, com 21%. Em seguida, aparecem os estados de Pernambuco, Bahia, Piauí, Paraíba, Alagoas, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Entre as principais razões para a evasão, são crianças ou adolescentes que estão em conflito com a lei, com deficiências físicas, intelectuais, mental, sensorial ou qualquer outra que impeçam ou dificultem a frequência escolar.

Ao todo, 68.994 crianças e adolescentes do Nordeste que estavam foram da escola foram matriculadas nos últimos dois anos, devido à iniciativa.

Mais de 5 milhões sem acesso à educação

Um levantamento feito pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), em 2020. já havia registradoque mais de 5 milhões sw mwninas e meninos estavam sem acesso à educação – número semelhante ao que o País tinha no início dos anos 2000, de acordo com o levantamento.

As crianças de 6 a 10 anos foram as mais afetadas pela exclusão escolar na pandemia de Covid-19, impactando seus processos de alfabetização, e trazendo consequências negativas por muitos anos, segundo o órgão.

Os dados apontam que, em novembro de 2020, havia 36,9 milhões de crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. Entre eles:

  • 35,4 milhões frequentavam a escola
  • 31,7 milhões recebia atividades escolares, podendo tê-las realizado ou não
  • 3,7 milhões não recebia atividades escolares
  • 1,5 milhão não frequentava a escola

Fonte:; g1 Ma

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.