Caixa libera novo lote do abono salarial

A Caixa Econômica Federal, liberou nesta terça-feira (22) o pagamento do abono salarial (beneficio anual do trabalhador equivalente ao valor de, no máximo, um salario mínimo), para os trabalhadores do setor privado nascidos em setembro. O pagamento acontecerá até 31 de março, baseado no mês de nascimento do beneficiário.

O beneficio é pago aos trabalhadores cadastrados há pelo menos cinco anos, no Programa de Integração Social (PIS) ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). Também tem direito quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais com carteira assinado durante, pelo menos, 30 dias, o ano-base 2020. É preciso ainda ter os dados atualizados pelo empregador (Pessoa Jurídica), na Relação anual de Informações Sociais (RAIS).

O Banco do Brasil também liberou hoje (22) o abono salarial para os trabalhadores do setor público com inscrição final 8. O pagamento para essa categoria segue até 24 de março, com base no digito final da inscrição do servidor.

Cerca de 22 milhões de trabalhadores devem receber o benefício, somando um valor de mais de R$ 20 bilhões. Os valores pagos variam de R$ 101 a R$ 1.212, de cordo com os meses trabalhados. Só recebe o valor máximo quem trabalhou os 12 meses de 2020.

Segundo informado pela Caixa, o crédito será depositado automaticamente para quem já possui conta no banco. Os demais beneficiários receberão o abono por meio da Poupança Social Digital, movimentada pelo CAIXA Tem. Nos caixas eletrônicos, nas Casas Lotéricas e nos Correspondentes Caixa Aqui, basta inserir o Cartão social e a senha para efetuar o saque. O pagamento só poderá ser realizado de acordo com o calendário e ficará disponível até o dia 29 de dezembro (confira os calendários completos abaixo).

Calendário do abono salarial dos trabalhadores cadastrados no PIS para 2022 – Foto: Economia G1
Calendário de pagamento do Pasep para o ano de 2022 – Foto: Economia G1

Empregados domésticos e Jovens Aprendizes não tem direito ao benefício. No caso dos empregados domésticos, o abono salarial não é pago porque exige vinculo empregatício com uma empresa, não com outra pessoa física.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.