Novo Diretor-geral da PF troca comando do setor que investiga a família Bolsonaro

O novo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Márcio Nunes de Oliveira, nomeou um novo delegado responsável por coordenar o setor de Investigação e Combate à Corrupção, que investiga políticos em inquéritos que tramitam no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal (STF).

 O delegado Caio Rodrigo Pellim assume o departamento no lugar de Luís Flávio Zampronha. A troca foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (17). O setor é responsável por investigações que apuram a disseminação de fake news, o financiamento de atos antidemocráticos, bem como desvio de dinheiro público por parlamentares.

Nessas investigações, são alvos o presidente Jair Bolsonaro e os filhos, o vereador Carlos Bolsonaro e o senador Flávio Bolsonaro, além de deputados aliados ao presidente.

De acordo com o G1, Pellim assume o cargo de maior repercussão na hierarquia da PF. Antes, o atual responsável pelo setor atuava como Superintende Regional do Ceará, desde julho do ano passado; também já coordenou as delegacias da PF em Rondônia e no Rio Grande do Norte.

Ao longo do mandato do presidente Jair Bolsonaro, Nunes é o quinto diretor-geral da PF já nomeado. Ele substituiu Paulo Maiurino em fevereiro deste ano, o qual passou menos de um ano no posto. O novo diretor da PF anteriormente atuava como secretário-executivo do Ministério da Justiça, segundo principal posto na hierarquia da pasta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.