Bolsonaro veta à Lei Paulo Gustavo que previa verba para setor cultural

O presidente Jair Bolsonaro (PL), vetou o Projeto de Lei que levava o nome do ator e humorista Paulo Gustavo. Seriam destinados R$ 3,8 bilhões em recursos federais a estados e municípios para o enfrentamento dos efeitos da pandemia da Covid-19 sobre o setor cultural. De acordo com o governo, a lei, foi vetada por “contrariedade ao interesse público”.

A informação foi divulgada na última terça-feira pela Secretaria-Geral da Presidência e, publicada na edição desta quarta-feira (06) no Diário Oficial da União (DOU). Diante da notícia, alguns senadores e o setor cultural começaram a se mobilizar pela derrubada do veto no Congresso Nacional.

A proposta presentada pelo senador Paulo Rocha (PT-PA) com o apoio de outros parlamentares, liberaria recursos do Fundo Nacional de Cultura (FNC) para fomento de projetos culturais e visava homenagear um dos artista mais populares do país que faleceu em decorrência da Covid-19, em maio do ano passado, aos 42 anos no Rio de Janeiro.

Em sua conta em uma rede social o senador Paulo Rocha disse que derrubará o veto de Bolsonaro à lei de sua autoria e do PT.

https://twitter.com/senadorpaulor/status/1511697694036746242?t=vsDHJwqLndopq5peV9yqYQ&s=19

Cerca de R3 2,7 bilhões dessa verba seria destinada exclusivamente a ações voltadas ao setor audiovisual no apoio a produções audiovisuais , salas de cinema, cineclubes, mostras e festivais. O setor, desde o inicio deste governo vem enfrentando dificuldade de financiamento para seus projetos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.