Editorial: pra onde vai a propina?

Não é para o Lula, a Dilma, o Temer, o Aécio, o Palocci, o Cunha…

É, alguns deles podem ter recebido boa parte dela. Mas não fica tudo com eles, acredite!

Milhões de reais são entregues a políticos por meio de empresas beneficiadas em licitações para ‘tocarem’ as obras dos governos municipais, estaduais e federal. Um modelo de corrupção já existente há muito tempo.

Lembra do Judas Escariotes? Mais do que trair ao Cristo ele foi mais um na história da raça humana que recebeu propina. Trinta moedas de prata para entregar aos opositores o salvador seguido por muitos e  admirado por ainda outros.

Mas, afinal de contas, para onde vai a propina?

Primeiro, do caso de Judas acima citado, nada mais foi que para seu interesse pessoal, o que resultou em sua morte depois e, quem sabe, sem sequer aproveitar as míseras moedas.

Qual a relação disso com a política brasileira?

Bem, a propina não existe somente dentro do campo político. Existe em muitas igrejas, nas escolas, nos locais de trabalho, na família, na comunicação… na vida!

A verdade é que muitos políticos brasileiros começam suas gestões pensando em se “garantir” para a reeleição, para os próximos mandatos, para as futuras campanhas, ou para se manter quando sair do poder.

Mas, meus amigos, quero lhes chamar atenção para um fim específico desse dinheiro.

Esse dinheiro serve, muitas das vezes, para bancar as campanhas políticas. Sim, esse dinheiro vai para o bolso de muitos que vendem seu voto nas eleições. Ou vocês acham que pagar um saco de cimento, um remédio, uma mensalidade da faculdade ou algo do tipo para tantos eleitores sai de graça?

Sabe, uma vez um político que admito me disse: “se um dia vierem me cobrar tudo que gastei ajudando um e outro, direi o nome de cada um beneficiado. Quero ver se vão prender o povo”.

E eu apoio essa ideia, e ver na grande desgraça que iria dar!

Há décadas, talvez séculos, que se diz que quem faz um político corrupto é o povo. E isso nunca é levado tão a sério a ponto de cessar os modos de se fazer política, gestão, religião.

Por fim, o dinheiro da propina vai para um lugar específico: o bolso dos hipócritas que criticam corruptos mas são os primeiros se venderem. Ao assistir o Jornal Nacional de hoje, lembre que aquele dinheiro poderia ser para você, basta refletir.

Anúncios

Equipe AtéHoje!

Graduado e pós-graduado em Gestão Pública; Graduando em Jornalismo; Pós-graduando em Assessoria e Gestão da Comunicação.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: