“Alanna pode ter sido enterrada viva”, diz delegada do Maiobão

O desenrolar dessa história está sendo cada vez mais doloroso para quem acompanha. Em entrevista à Rádio Mirante AM, a delegada Eunice Rubem, da Delegacia do Maiobão, disse que Alanna Ludmila pode ter sido enterrada viva.

“O que a gente sabe, até agora, é que ele [o padrasto] pode ter cometido o crime, pois havia uma animosidade entre ele e a criança. Segundo relatos, Alanna tinha ciúme dele com a mãe. Ele foi ouvido […] e a gente procura ele desde a madrugada de quinta (01)”, disse a delegada.

“O rosto dela estava deformado, os braços estavam amarrados para trás e a cabeça dela estava coberta por um saco. E tudo leva a crer que ela foi enterrada viva e, com certeza, foi um crime premeditado. Foi de uma violência brutal. Estou com 19 anos de polícia e já me deparei com muita situação triste, mas essa me chocou demais, ver uma criança indefesa no quintal da própria casa, enterrada em uma cova rasa. A meu ver, pode ser que existam outras pessoas envolvidas nesse caso”, declarou a delegada.

Alanna Ludmila, de 10 anos, estava sumida desde a última quarta-feira (31) e foi encontrada morta e enterrada em um terreno nas proximidades da casa que morava, na manhã de hoje (03).

O padrasto já é considerado foragido!

Robert Willian Valporto

Robert Willian Valporto é graduado em Comunicação Social - Jornalismo; em Gestão Pública; pós-graduado em Assessoria e Gestão da Comunicação; MBA em Gestão Pública; Mestrando em Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *