Flávio Dino é citado em delação da Odebrecht

Na noite da última terça-feira (11), uma grande variedade de veículos de comunicação e portais de notícias de todo o Brasil deram ênfase à citação do governador do Maranhão, Flávio Dino, na lista do ministro Edson Fachin, a ser investigado por envolvimento em corrupção.

O Jornal Nacional, da Rede Globo, apresentou junto ao nome de Flávio Dino outros governadores envolvidos em esquema de corrupção. Entre os delatados, estão os governadores do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB); de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB); do Paraná, Beto Richa (PSDB); de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT); do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB); de Goiás, Marconi Perillo (PSDB); de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD); e de Tocantins,Marcelo Miranda (PMDB).

Alguns blogs maranhenses, como o caso do Filipe Mota, divulgaram que “empreiteiros presos e já condenados na Operação Lava-jato, transferiram quantias volumosas de dinheiro para a campanha eleitoral de Flávio Dino”. Apresentaram ainda dados dessas doações, como mostra a tabela abaixo, obtida pelo Mirinzalense.

7563eee2-9aa4-42ec-bcdd-775689580fa0
Fonte: Blog do Filipe Mota

Ainda entre os políticos maranhenses, estão o senador Edson Lobão (PMDB), o deputado federal José Reinaldo (PSB) e o advogado Ulisses Martins de Sousa, que era Procurador-Geral do Maranhão, todos citados nessa fase da operação e que devem ser investigados.

Em uma rede social, o Flávio Dino se defendeu dizendo que tem “consciência absolutamente tranquila de jamais ter atendido qualquer interesse da Odebrecht, nos cargos que exerci nos 3 Poderes”. Disse ainda que é “inevitável a indignação por ser citado de modo injusto sobre atos que jamais pratiquei”, publicou.

Flávio Dino.png

O destaque para a delação e divulgação dos nomes dos políticos que haverão de ser investigados, a partir de então, é que inclui quase todos os partidos, com a notada exceção do Partido Democrático Trabalhista, o PDT, que não tem nenhum político de nenhuma das esferas envolvidos nos esquemas de corrupção.

Robert Willian Valporto

Robert Willian Valporto é graduado em Comunicação Social - Jornalismo; em Gestão Pública; pós-graduado em Assessoria e Gestão da Comunicação; MBA em Gestão Pública; Mestrando em Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *