Editorial: Uma esquerda criminosa!

Por Robert Willian

Um cidadão que passava em seu veículo, por um grupo de manifestantes claramente de esquerda da política brasileira, foi vítima de criminosos que não o lixaram, com uma pessoa que estava no carro, porque a polícia impediu. Veja o vídeo:

O crime

O direito de manifestação é garantido para todos os que quiserem manifestar pacificamente seus posicionamentos diante de fatos quaisquer no Brasil. Entretanto, o que se vê são pequenos grupos organizados com o intuito de fazer badernas, por onde passam.

O vídeo apresentado acima mostra o modo como os manifestantes de centrais sindicais se posicionaram diante de sabe-se lá o que. Seja o que for, é considerado organização criminosa a posição tomada pelos que destruíram o carro do cidadão que tentara passar por ali.

A esquerda criminosa

Antes que os leitores pensem que considero o movimento de esquerda um crime, ou que ache a esquerda como um todo criminosa, preciso deixar claro que não se trata disso. Trata-se, sim, de minorias que aproveitam das manifestações para prática de atitudes que são repudiáveis.

São grupos de criminosos que se aliam aos movimentos de insatisfação e no calor do grito manifestante usam de artifícios que não podem ser aceitados para uma sociedade que se considera livre e democrática.

Claro, os grupos que fazem tais badernas não representam a totalidade das manifestações da esquerda brasileira, mas usam dos seus espaços de protestos para exercer as práticas criminosas. Por isso o termo “uma esquerda criminosa”.

A democracia

Aprendi com uma professora na 5ª série do ensino fundamental que a discussão dos direitos de ir e vir do cidadão tem certos limites – o meu direito acaba quando o do outro começa. Assim, a democracia não pode se tornar uma porta de saída para que criminosos saiam depredando tudo e atropelando outros por conta de seus direitos.

Ainda aprendi, com a professora anteriormente citada, que o que pode reger uma sociedade justa e igualitária é a disciplina. Essa norma precisa ser implicada pelos principais formadores de opinião dos grupos específicos conscientizarem seus seguidores.

Não é o Lula, a Dilma, o Aécio, o Temer ou quem quer que seja o líder que incentiva esses movimentos. Pelo menos quero acreditar que não seja. Entretanto, são essas pessoas que precisam começar a combater esse tipo de atitude. A esquerda, principalmente, precisa combater essas atitudes de dentro dos seus movimentos.

Do contrário, em alguns tempos, a democracia brasileira se transformará num campo de guerra, onde o adversário se torna inimigo e o objetivo é sua destruição, em vez de vencê-lo no campo das ideias – em termos isso já ocorre.

E aí, meus amigos, viveremos uma guerra de verdade!

Robert Willian Valporto

Robert Willian Valporto é graduado em Comunicação Social - Jornalismo; em Gestão Pública; pós-graduado em Assessoria e Gestão da Comunicação; MBA em Gestão Pública; Mestrando em Comunicação.

One thought on “Editorial: Uma esquerda criminosa!

  • maio 20, 2017 em 1:03 am
    Permalink

    O Lula incentiva esse tipo de baderna. As seguintes frases são dele: “colocarei um exército (MST) nas ruas”. “Vou colocar um bando de pião aqui na entrada, aí eu quero ver os coxinhas virem”. Os movimentos sociais de esquerda, todos eles, apoiam esse tipo de coisa. Temos que nos posicionar e dizer a verdade: todo os movimentos de esquerda no Brasil apoiam isso!!

    Resposta

Deixe uma resposta para Lucas Barros Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *