Funcionários do Grupo Mateus descrevem trabalho como “escravista”

O Grupo Mateus presente nos estados do Maranhão, Piaui e Pará emprega mais de 22 mil pessoas e é considerado a sexta maior empresa de varejo alimentar do Brasil.

Essa semana o grupo foi alvo de denuncias por funcionarias que classificaram o regime como “escravista” onde os funcionários são submetidos a horas de trabalho diárias além do permitidos pela CTL (Consolidação das leis do trabalho) e não ganham horas extras .

Além disso, os funcionários não tem horário fixo e são trocados de turno sem aviso prévio, exercendo funções diferentes sem remuneração extra, ainda de acordo com eles, o Grupo Mateus não oferece refeição nem lanches para seus funcionários que são obrigados a comprarem no estabelecimento com um cartão corporativo que é creditado apenas R$ 102,00 a título de ajuda de custo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *