Dia das mulheres: conheça a história da data

Oficializado pela Organização das Nações Unidas desde 1975, o dia internacional das mulheres é celebrado desde o século 20 e se hoje é um dia de pedir igualdade, e marcado por protestos ao redor do mundo, se deve principalmente a classe trabalhista.

Diferentemente de outras datas comemorativas, dia 8 de março não foi um dia criado pelo comércio para a venda de flores e chocolates. E nem para homenagear a delicadeza e feminilidade de uma mulher, mas sobretudo, um dia de luta e reflexão.

Foram as mulheres das fábricas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa que começaram uma campanha dentro do movimento socialista para reivindicar seus direitos – as condições de trabalho delas eram ainda piores do que as dos homens à época. E no dia 25 de março de 1911 na Companhia de Blusas Triangle, quando 146 trabalhadores morreram em um incêndio , sendo 125 mulheres e 21 homens (a maioria judeus).

Porém, há registros de mulheres reivindicando melhores condições de trabalho, no dia 23 de fevereiro de 1909, na cidade de Nova York, onde 15 mil mulheres foram as ruas mostrar revolta contra as jornadas abusivas de trabalho que eram obrigadas a cumprir. Ali teria sido celebrado o primeiro “Dia Internacional da Mulher”.

Em 1917, houve um marco ainda mais forte daquele que viria a ser o 8 de Março. Naquele dia, um grupo de operárias saiu às ruas para se manifestar contra a fome e a Primeira Guerra Mundial, movimento que seria o pontapé inicial da Revolução Russa.

O protesto aconteceu em 23 de fevereiro pelo antigo calendário russo – 8 de março no calendário gregoriano, que os soviéticos adotariam em 1918 e é utilizado pela maioria dos países do mundo hoje. Após a revolução bolchevique, a data foi oficializada entre os soviéticos como celebração da “mulher heróica e trabalhadora”.

Atualmente

Dia 8 de março é considerado feriado em vários países como na Rússia, onde as floriculturas multiplicam as vendas. Virou tradição o homem sempre presentear as mulheres ao seu redor com flores.

Na China, as mulheres chegam a ter metade do dia de folga, conforme é recomendado pelo governo. Já nos Estados Unidos, o mês de março é um mês histórico de marchas das mulheres.

No Brasil, a data também é “comemorada” com protestos em todas as principais cidades do país, com reivindicações sobre igualdade salarial e protestos contra o aborto e a violência contra a mulher.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *