Vereadores são presos por crime de extorsão, no Maranhão

O Ministério Público do Maranhão (MP-MA), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), e a Polícia Civil, por meio da Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor), deram cumprimento a cinco mandados de prisão temporária e oito mandados de busca e apreensão, na cidade de Vitória do Mearim, no início da manhã desta quarta-feira, 5 de junho.

As investigações apuram os crimes de corrupção passiva e associação criminosa, praticados pelos vereadores George Maciel da Paz, presidente da Câmara Municipal; Hélio Wagner Rodrigues Silva; Oziel Gomes da Silva; Marcelo Silva Brito (Marcelo da Colônia); Mauro Rogério (Nego Mauro); José Mourão Martins e Raimundo Nonato Costa da Silva (Nonato do Chelo).

Além destes, o vereador Benoa Marcos Rodrigues Pacheco (Bena), está sendo investigado pelo crime de corrupção passiva.

De acordo com a apuração, os vereadores cobraram vantagem financeira no valor de R$320 mil ao marido da prefeita Didima Coelho, Almir Coelho, para que fosse arquivado o pedido de abertura de uma Comissão parlamentar de inquérito (CPI), a fim de iniciar o processo de cassação da chefe do executivo municipal.

Gravações foram apresentadas ao Ministério Público e a Justiça, provando a tentativa de extorsão. O valor deveria ser pago em duas parcelas, porém o vereador Bena, queria R$ 100 mil, exclusivamente para ele.

Os presos ficarão recolhidos no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, pelo prazo de cinco dias, podendo ser prorrogado por mais cinco.

Do material apreendido nas residências dos vereadores, os aparelhos celulares e computadores serão encaminhados ao Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro (LAB-LD), do Ministério Público, para a extração e análise dos dados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *