Vídeo: violência policial contra mulheres, durante arraial, em São Luís

Na noite da última segunda-feira (17), uma abordagem da Polícia Militar (PM), gerou tumulto e gritarias no Arraial da Praia Grande, no Centro Histórico de São Luís. Vídeos mostram cerca de 20 policiais colocando duas mulheres no porta-malas de uma viatura e forçando a porta contra elas, repetidamente. Testemunhas e advogado das vítimas apontaram possível excessos por parte dos policiais.

A abordagem às jovens foi feita após denúncias de que duas mulheres estariam pichando um prédio nas proximidades. Segundo a PM, enquanto uma policial fazia a revista das suspeitas por vandalismo, foram encontradas drogas em suas bolsas.

De acordo com o relato do coordenador de Policiamento da Unidade (CPU), Sgt. Serrão, foi “nesse momento foi dada voz de prisão e, em ato contínuo, as suspeitas foram para cima dos policiais que estavam na segurança, no intuito de agredi-los fisicamente. Em razão de tal atitude, foi preciso usar a força proporcional para contê-las”, disse.

O Coordenador declarou que “as duas pessoas insistiam em resistir à prisão”, o que contribuiu para a aglomeração em torno da ocorrência. Com a chegada da viatura, elas foram levadas ao Plantão Central das Cajazeiras.

Testemunhas, entretanto, afirmam que a abordagem violenta, veio por parte dos policiais desde a revista. “Na bolsa, acharam um ‘dichavador’ e um cigarro de maconha. Acusaram elas de traficantes e elas alegaram ser somente usuárias. A partir daí, começou a confusão. Eram vários policiais em cima delas. Uma começou a gritar, dizendo que não ia, e eles forçaram a entrada delas no porta-malas da viatura”, contou uma das pessoas presentes no local, que preferiu não se identificar.

Vídeos do acontecimento foram gravados por terceiros e compartilhados em redes sociais. Os registros mostram o momento antes de serem levadas à delegacia, onde uma mulher já se encontra dentro do porta-malas da viatura, enquanto a outra, é colocada no local, pelos agentes da PM. Em seguida, policias forçam a porta do compartimento, contra as duas, repetidamente, na tentativa de fechar o carro.

“Duas dezenas de PM, todos homens, contra duas jovens negras! Racismo e violência policial andam juntos”, diz a publicação no Twitter, feita pelo advogado Diogo Cabral.

O nome das mulheres ainda não foi divulgado pela Polícia Militar. Supostos colegas afirmam se tratar de duas jovens, na faixa dos vinte anos, chamadas “Joana” e “Keyla”.

A situação foi denunciada à Ouvidoria da Secretaria de Direitos Humanos do Maranhão, onde deve ser devidamente apurada.

Fonte: O Imparcial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *