Sargento da PM e professor são presos suspeitos de abusarem sexualmente de três irmãs

Um professor de um curso pré-vestibular e um sargento da Polícia Militar, foram presos em Manaus, na manhã desta segunda-feira (22), suspeitos de abusarem sexualmente de três irmãs. Segundo informações da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), os suspeitos davam dinheiro e comida à família das vítimas para se aproximarem das crianças.

O sargento foi preso na casa onde morava, no bairro Rendenção, na Zona Centro-Oeste de Manaus. Já o professor, João Batista Gomes, de 66 anos, foi preso na sede da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), no bairro Japiim II, na Zona Sul da capital.

Em nota, a pasta afirmou que repudia veementemente qualquer tipo de comportamento que desrespeite a integridade de crianças e jovens e possui uma forte política de prevenção e combate à violência e pedofilia nas escolas. A Seduc informou ainda, que prestará apoio necessário às investigações para apuração do caso.

A Operação Kori, comandada pela titular da Depca, Joyce Coelho, cumpriu também dois mandados de busca e apreensão de computadores e outros objetos dos suspeitos.

Segundo a irmã mais velha, agora com 19 anos, os crimes tiveram início há cinco anos. A jovem contou à delegada que o professor de português se aproximou enquanto ela e o irmão, agora com 17 anos, pediam dinheiro em um sinal de trânsito.

A partir daquele momento, o homem ofereceu trabalho doméstico para a menina e a levou para ser auxiliar da empregada dele – e deu início aos abusos. Em seguida, o professor passou a ajudar a família com comida e dinheiro.

Aos 14 anos, a irmã mais velha fugiu de casa e o irmão passou a frequentar a casa do professor e levou as irmãs mais novas, hoje com 15 e 14 anos. A partir deste momento, segundo depoimentos, as adolescentes também começaram a ser abusadas.

A família das vítimas, mora perto da 26ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), onde as crianças pegavam os restos de comida. Seguindo o caso de violência, um sargento da unidade, começou a dar alimento e dinheiro e, da mesma forma que o professor, começou a abusar das adolescentes.

As denúncias foram feitas pela irmã mais velha. À delegada, ela contou que buscou as irmãs para passar o dia com as duas. Durante o encontro, as meninas informaram que continuavam frequentando a casa do professor e a delegacia, para pegarem restos de comida, e que eram abusadas tanto pelo professor quanto pelo sargento.​

Fonte: G1 AM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *