Sucesso de público e crítica, espetáculo “Uma Poesia Eterna: ELIS”, volta aos palcos

Depois do sucesso em sua estréia no palco do Teatro Arthur Azevedo, o espetáculo “Uma Poesia Eterna: ELIS”, volta a ser apresentado na capital. Desta vez, a apresentação será no palco do Teatro Alcione Nazaré, em São Luís, em curta Temporada, nos dias 2, 3 e 4 de agosto.

O espetáculo, é resultado do projeto ‘Pulsar Jovem’ e faz parte da conclusão do projeto, que selecionou 40 jovens de comunidades para um contato mais próximo com o universo da Dança.

Considerada por muitos críticos, a maior cantora brasileira, Elis Regina, que morreu em 1982, deixou um legado que influencia até hoje a música popular brasileira.

“Uma Poesia Eterna: ELIS”, volta à cena depois de ser aclamado pelo público e crítica, em recente estréia. No palco, 25 jovens talentos, lapidados por meio do projeto que teve duração de um ano, apresenta parte da obra da cantora brasileira que marcou época e uma geração.

O projeto ‘Pulsar Jovem’, foi criado em junho de 2018, pela Pulsar Companhia de Dança, que vem desenvolvendo trabalhos artísticos há mais de duas décadas no estado, e levando a dança do Maranhão para o país.

Origem

A ideia original de levar a obra de Elis à cena, surgiu de conversas entre o coreógrafo Joilson Ferraz e o diretor da companhia, Abelardo Telles. A luta diária por conquistas na área profissional, pessoal e social travada pela cantora, foi a mola propulsora para criação do espetáculo.

“Elis se dava por completo, se ariscava e seguia em frente”, ressalta o coreógrafo, Joilson Ferraz. Para Abelardo Telles, diretor da companhia, “Elis será sempre necessária, sua obra é eterna. O espetáculo não se trata de um recorte biográfico de sua vida, mas uma interpretação livre da poesia contida nas letras”, disse.

Ainda sobre o processo de criação, Fernando Saraiva, também coreógrafo que assina a direção e o roteiro, ressalta que entre as mensagens propostas pela obra, está a influência da obra de Elis, que mesmo depois de 37 anos da ausência física da cantora, a mesma continua símbolo feminino de luta e de inconformismo político.

O espetáculo foi dividido em quatro momentos: rádio, bar, casa e praça. O Rádio apresentará o surgimento da cantora para o grande público, as polêmicas e manifestações. O Bar será retratado como o momento de festejo, da luxúria, do poder, dos jogos, do flerte e aproximação com o Jazz.

Já para o momento da “Praça”, os coreógrafos apresentarão os encontros, as relações amorosas, as paixões e a poesia. Para a “Casa”, que também será o momento final do espetáculo e o momento mais denso dentro da obra, onde será retratado as desilusões; as paixões estremecidas; os conflitos familiares; as perdas e reencontros; além de algumas surpresas só reveladas em cena.

Para quem não teve a oportunidade de se emocionar e matar um pouco da saudade da obra da “Pimentinha”, o espetáculo estará em cena, em curta temporada, apenas nos dias 2 e 3 (sexta e sábado às 20h) e no dia 4 (domingo às 18h), no palco do Teatro Alcione Nazaré.

SERVIÇO:

-O que: “Uma poesia eterna: ELIS”

-Quando: 02,03 (sexta e sábado às 20h e 04 de agosto) e (domingo às 18h)

-Onde: Teatro Alcione Nazaré (Centro de Criatividade Odylio Costa Filho – Praia Grande)

-Informações: 98116-5401/988060337 (Luis Paulo Sousa e aAbelardo Telles)

-Preços: R$ 20,00

Ingressos à venda: na bilheteria do Teatro Alcione Nazaré

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *