Boletim epidemiológico aponta uma “segunda onda” do Covid-19 no Maranhão

Na terça-feira (7) foi divulgado pela SES (Secretaria de Estado da Saúde) o boletim epidemiológico que mostra que houve quase 2 mil novos casos de Covid-19 no Maranhão, 1683 casos em São Luís e 154 em outros municípios.

Cogita-se que o aumento de casos seja em decorrência da flexibilização das atividades comerciais. Um grupo de estudo da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) está analisando esta hipótese.

O Doutor e médico epidemiologista Antônio Augusto de Moura da Silva do Departamento de Saúde Pública da UFMA explicou que desde a última semana está acontecendo a reaceleração da transmissão do novo coronavírus.

De acordo com o Doutor essa reaceleração ocorreu mais ou menos após o início da reabertura dos comércios, quando houve a flexibilização do isolamento social. A segunda onda é o reflexo da redução das medidas preventivas para o Covid-19.

Segundo o Grupo de Modelagem da UFMA, a flexibilização das atividades comerciais no Maranhão ocorreu precocemente, desobedecendo os critérios estabelecidos pela OMS (Organização Mundial de Saúde). A redução continuada da incidência de casos e do numero de mortes em decorrência do Covid-19, por um período prolongado de duas a três semanas, a taxa de ocupação dos leitos como sendo inferior a 70%, esses fatores seriam os cruciais para que houvesse reabertura do comércio, como não foram atendidos o Maranhão corre o risco de sofrer uma “segunda onda” do Covid-19.

Fonte: O Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *