Mulher negra é agredida por policiais militares em São Paulo

No último domingo (12), o Fantástico divulgou imagens mostrando um policial militar pisando no pescoço de uma mulher negra de 51 anos para imobilizá-la. De acordo com o Governador João Doria (PSDB), as cenas da violência que aconteceu no estremo da Zona Sul de São Paulo, “causaram repulsa” é que é “inaceitável a conduta de alguns policiais”. 

“Os policiais militares que agrediram uma mulher em Parelheiros, na Capital de SP, já foram afastados e responderão a inquérito. As cenas exibidas no Fantástico causam repulsa. Inaceitável a conduta de violência desnecessária de alguns policiais. Não honram a qualidade da PM de SP”, afirmou em um post publicado em suas redes sociais. 

Os dois policiais militares ficarão afastados durante a apuração do caso. A Secretaria da Segurança Pública diz que não compactua com esse tipo de comportamento. 

A mulher vítima da violência é viúva, tem cinco filhos e dois netos, e é uma comerciante que vive de um pequeno bar. Foi em seu trabalho que ocorreu a violência policial. 

De acordo com a imagens os PMs abordaram um grupo de pessoas em uma tarde de sábado, no dia 30 de Maio. Na ocasião os bares e restaurantes ainda estavam proibidos de abrir na capital paulista. Mas a comerciante estava com seu estabelecimento aberto, é um cliente orou o carro com o som alto na frente do bar, o que incomodou a vizinhança que acionou a polícia. 

“Ele me bateu e quanto mais eu me debatia mais ele apertava a botina no meu pescoço”, disse a vítima que não quis se identificar com medo dos PMs voltarem. 

A dona do bar conta que pediu para que o motorista abaixasse o volume do som e quando saiu viu uma viatura parada é um policial agredindo seu amigo. Nas imagens é possível ver o policial apontando a arma para outro homem, que tira a camisa e ergue os braços. Atrás dele um homem de blusa azul grita para mostrar que está gravando com o celular e o policial recua e vai dar apoio ao colega. 

Segundo a comerciante tentou intervir na violência do policial contra um amigo dela e foi agredida. “Eu pedi para o policial pra parar e ele me empurrou na grade do bar, me deu três socos, me deu uma rasteira para me derrubar, quebrou minha tíbia, e ele ficou pisando no meu pescoço com meu rosto encostado no chão”. 

Em seguida, a mulher é arrastada algemada pelo asfalto até a calçada. Ela conta que desmaiou quatro vezes durante a ação. Os PMs alegam que foram agredidos primeiro e tiveram que reagir contra a comerciante e amigos dela. 

Os PMs registraram um boletim de ocorrência na delegacia, dizendo que a mulher usou uma barra de ferro para agredi-los na cabeça e os ameaçaram com um rodo. Ela nega. 

O boletim de ocorrência foi registrado como desacato, lesão corporal, desobediência e resistência contra a comerciante. Ela foi levada para o hospital com ferimentos e perna quebrada. Após atendimento, ficou presa um dia na delegacia. Um dia após ser solta passou por uma cirurgia na perna e levou 16 pontos.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *