Em contagem regressiva e cabelo pintado, Jadilson apela para as redes sociais

Cassado em primeira instância, o prefeito interino de Mirinzal, Jadilson Coelho, vê nas redes sociais sua principal ferramenta para, no mínimo, tentar desmoralizar aqueles que o antecederam e que são seu principal pesadelo numa segunda eleição.

Não bastasse isso, o prefeito cassado ainda parece ignorar, com sua equipe, uma onda de problemas que vem acontecendo no município que, inclusive, já foram temas no AtéHoje e outros que, por não obtermos resposta da Prefeitura, não publicamos.

A ideia de partir para as redes sociais, como já foi tema do nosso Portal de Notícias, foi uma estratégia encontrada por sua equipe de comunicação. Com poucas ações a serem divulgadas na página oficial da Prefeitura e muitos problemas acontecendo, a estratégia utilizada foi usar o perfil do prefeito para tentar vitimizar a situação em tom mais que apelativo – escondem problemas se vitimizando com fatos quase sempre inexistentes.

Saúde

Talvez essa seja a pasta mais questionada durante toda a curta gestão que há de ser comandada pelo prefeito Jadilson. Foram vários problemas durante sua gestão que partem de médico falso de plantão à nepotismo dentro da pasta.

Esse quesito é ainda relacionado com o da Segurança, já que misteriosamente uma Unidade Básica de Saúde (UBS) da cidade, a do Tungo, foi duas vezes assaltada nas últimas semanas e, no segundo assalto onde levaram alguns ar-condicionados, nenhuma vestígio de arrombamento foi encontrado.

Até o mistério do Baraka já foi quase que explicado, e esse não!

Nossa equipe pediu nota da Prefeitura Municipal para entender o motivo pelo qual essa onda de assaltos nos prédios públicos não tinha sido sanada e qual as medidas poderiam ser tomadas, mas sem sucesso.

Nota.png

Ainda existem outras denúncias de populares que recebemos em nosso Portal de Notícias nos últimos dias, como por exemplo, a utilização da ambulância como meio de transporte pessoal para deixar servidores comissionados da prefeitura no Cujupe, bem como um motorista se recusando a levar uma paciente para Cururupu, por estar “tarde da noite”.

Segurança

Esse é outro quesito que vem tornando essa curta gestão ainda mais questionada. É perceptível que, mesmo com uma parceria declarada com o Governo do Estado, o prefeito não consegue solucionar problemas de insegurança na cidade.

Não se trata de simplesmente acabar com assaltos, o que não é simples.

O clima de insegurança e o auto índice de violência tem aumentado gradativamente a índices alarmantes. Tanto que a qualquer estouro à noite (seja até de um transformador de energia) moradores já tremem em suas camas com medo do campo de guerra que tem se tornado a cidade.

Política e Confiança

Já citamos em outras matérias que o prefeito cassado de Mirinzal não é nem nome discutido por sua base política para a nova eleição. Sendo assim, o “meche-meche” lá dentro é maior do que o desempenhado pelo presidente Michel Temer.

Há poucas semanas de deixar o cargo, o prefeito já trocou até a principal peça das Finanças, segundo informações de bastidores, hoje comandada pela professora Kenize Coelho, sua esposa, antes comandada pelo seu sobrinho, Hallyson Coelho.

O clima de instabilidade dentro da prefeitura cresce e, politicamente fragilizado com aliados “fieis” querendo virar a casaca, restou ao prefeito se gozar de prazer com esforço de outros. Veja alguns exemplos.

Esforço alheio

Talvez a principal marca da gestão do prefeito cassado Jadilson seja a entrega da escola Euclides Ribeiro, que foi propositalmente entregue a ele por ser aliado de Flávio Dino, apesar de seu grupo quase em totalidade não ser. A escola foi construída pelo ex-prefeito Amaury e estava pronta, aguardando apenas a mobília que Dino segurou até ele sair.

Depois, as ações solidárias da Cruz Vermelha. Essas ações partiram da atitude de uma jovem mirinzalense para ajudar famílias carentes (reveja aqui). Com isso, restou à atual gestão ir acompanhar as ações e postar fotos como se a ação fosse sua.

Ainda tem a aquisição de uma ambulância nova, solicitada pela anterior gestão ao Governo Federal e atendida – cada um dos 217 município maranhenses receberá uma. Restou ao prefeito contar com o discurso do governador para divulgar que essa era uma conquista dele, enganando dois pingados de pessoas.

Ah, e não podemos esquecer no centro cirúrgico do hospital, que foi totalmente reconstruído na anterior gestão e que familiares do atual secretário de Saúde (aquele que mandou ligar energia clandestinamente quando a Cemar cortou duas vezes do prédio de sua pasta) o parabenizam como se ele tivesse feito.

Com tantas coisas e com os dias na casa contados, o prefeito que só corre do quintal de sua casa para o de sua mãe para não atender populares, teve pintar seu cabelo e tentar vitimizar sua gestão fracassada com situações um tanto questionáveis nas redes sociais, já que dinheiro em caixa tem para tudo e as ações para desenvolvimento da cidade tem para nada.

Aguardemos os próximos capítulos dessa novela!

Robert Willian Valporto

Robert Willian Valporto é graduado em Comunicação Social - Jornalismo; em Gestão Pública; pós-graduado em Assessoria e Gestão da Comunicação; MBA em Gestão Pública; Mestrando em Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *